Feeds:
Posts
Comentários

Archive for setembro \29\UTC 2009

É com enorme prazer que esse blog tira uns dias de férias.

Ontem a noite meu filho #2 nasceu. Cabeludo, bochechudo, lindo !

Esse pai babão estará fora do ar até o final de semana, onde aí sim, o mais novo palestrino da família assistirá o jogo contra o Santos, ao lado do paizão e do irmão.

Enquanto isso, sou só babação. Eu mereço.

Torcida bem jovem do Palmeiras

Read Full Post »

Twittando

Ontem as marias ganharam do “poderoso” Grêmio Barueri com um gol roubado.

E agora marias, cadê o eixo rio-sp que manipula as arbitragens ? Ou o Barueri não é de São Paulo ?

Será que o presidente delas vai pedir o afastamento do árbitro e do bandeira ?


Read Full Post »

77, 23, 12

Esses foram os números do jogo:

77 – Figueroa

23 – Danilo

12 – São Marcos

E por falar em 12, o número do Santo:


12 rodadas na liderança

12 rodadas restantes

6 pontos a frente do 2º (dá-lhe Gordo ! Dá-lhe Imperatriz !)


Segura teu coração palestrino, a hora está chegando.

Troféu Nabo da Rodada continua nas mãos da Globambi

Troféu Nabo da Rodada continua nas mãos da Globambi

Read Full Post »

PalmeirasAtlético ParanaenseConfrontos


Geral:

33 jogos
16 vitórias
11 empates
6 derrotas
50 gols pró
37 gols contra

Primeiro jogo da História: Atlético/PR 1 x 3 Palestra Italia, dia 23/01/1938 no estádio Joaquim Américo, Curitiba (PR).


Em Brasileiros:

23 jogos
8 vitórias
9 empates
6 derrotas
28 gols pró
27 gols contra

Quem mais jogou: Sérgio (7 jogos)
Maiores artilheiros: Diego Souza, Paulo Nunes e Alex (2 gols em 2 jogos)
Quem mais venceu: Thiago Gentil (3 vitórias em 4 jogos)
Quem mais perdeu: Marcos (3 derrotas em 6 jogos)
Primeiro jogo: Atlético/PR 1 x 1 Palmeiras – BR71 (César (P); Caio (A))
Último jogo: Atlético/PR 2 x 2 Palmeiras – BR09, 1º turno (Obina e Keirrison (P); Rafael Santos e Marcinho (A))

Maiores goleadas:
Atlético/PR 2 x 4 Palmeiras (BR75)
Palmeiras 3 x 1 Atlético/PR (Copa do Brasil 92)
Palmeiras 3 x 1 Atlético/PR (BR97)
Palmeiras 3 x 1 Atlético/PR (BR04)
Atlético/PR 4 x 0 Palmeiras (BR05)


Avanti Palestra !


Read Full Post »

É engraçado isso. Por que agora os que falam essa besteira não lembram que perdemos do Coritiba com um gol de pênalti que não existiu? Contra o Goiás, no Serra Dourada, foi a mesma coisa, um pênalti que não aconteceu decidiu a partida. O que não se pode querer fazer é colocar pressão em quem vai apitar uma partida. Mas eu entendo isso. O grande problema é que o Palmeiras estava jogando contra o Cruzeiro e contra o Brasil inteiro. Todo mundo queria que o Palmeiras perdesse, inclusive aqueles que comandam o campeonato, para que tudo ficasse embolado. – Muricy Ramalho


Bem vindo ao mundo real, Muricy.


Eu já disse e repito: mandei um e-mail para o Sergio Correa, mostrando que o Palmeiras se preocupava com o risco de escalar o juiz. Já havíamos tido um problema contra o Roman contra o Goiás. Eu não manipulo arbitragem, não uso meu cargo para influenciar juiz, isso é ruim demais para o futebol. Além do mais, não falo da arbitragem dos outros times. Mandei o e-mail porque cansei de ver o Palmeiras ser prejudicado, os torcedores estavam cobrando uma atitude. Tenho uma relação que mostra que o Palmeiras deixou de ganhar nove pontos no campeonato por erros da arbitragem. – Presidente Belluzzo


Nota do Porcopédia: na relação desse blog são 10 pontos que nos roubaram.


E as putinhas ainda acham que o mundo é feito de imbecis


“…o presidente do time mineiro, Zezé Perrella, publicou uma carta no site oficial do clube criticando Evandro Rogério Roman, árbitro da partida, por não ter assinalado nenhum pênalti em quatro lances duvidosos a favor da Raposa. O dirigente também criticou a comissão de arbitragem e envolveu até o São Paulo na reclamação, registrando que o mesmo juiz validou gols irregulares do Tricolor, no confronto do primeiro turno.”


Se ele foi suspenso está aí a resposta, não foi por acaso. Falou-se muito que o Miranda teria cometido pênalti contra o Santo André, e depois foram três não marcados contra o Palmeiras. Mas no fim tudo é igual, os erros e acertos não serão decisivos para o título.

Ou alguém acha que isso aí não foi pênalti ?

Para Birner e Ricardo Gomes, isso não foi pênalti. A falta deve ter sido de Fernando em Miranda.

Ele não marcou aquele pênalti (contra os gambás no 1º turno), mas fez um bom jogo no geral. Quando o juiz comete dois ou três erros, como foi no caso do jogo do Palmeiras, aí é suspenso. “Quase-técnico” Ricardo Gomes


Ricardo Gomes já aprendeu como se trabalha no time das putas velhas. O quase-técnico (só os imbecis acham que Ricardo Gomes algum dia já treinou algum time que preste) mostrou ter decorado a cartilha dos canalhas que adoram recontar a história de acordo com a sua conveniência. O time que ele diz treinar tem know-how de intimidações e traquinagens nos bastidores. Esse ano até o Chivas Guadalajara sentiu na pele o poder nefasto dessa corja.

Ricardo, não se preocupe. Até agora você está fazendo bem o seu papel de sabujo. Como treinador, você sabe que essa é a sua única oportunidade na vida de ganhar alguma coisa. Não importa se o verbo ganhar, desse lado do muro, se confunde sempre com o verbo roubar, afanar, subtrair, se apossar, espoliar, etc. A história desse time que você diz que treina, e só a impren$a “especializada” enxerga você como um técnico que não é, foi e é construída com esses verbos. Mas não se preocupe Ricardo, você tem uma claque na mídia que sempre lhe farão coro. Pelo menos isso fará com que você nunca pense que está falando sozinho.

Read Full Post »

Cena 1: Goiás 2, Palmeiras 1. O Palmeiras estava vencendo a partida até os 30 do 2º tempo, quando teve um pênalti marcado de forma absurda que mudou a história do jogo. Além de estar na frente do placar, o Palmeiras administrava a partida. Ao dar um pênalti inexistente de Wendel em Júlio César, Roman acendeu o estopim para o Goiás acordar na partida. Fim de jogo, o Palmeiras que contava com mais 3 pontos voltou pra casa sem nenhum. O árbitro Evandro Rogério Roman é criticado publicamente pela diretoria do Palmeiras pela péssima atuação no jogo e Belluzzo diz que ele nunca mais apitará jogos do Palmeiras.

Resultado: a Comissão de Arbitragem não dá bolas para a reclamação do Palmeiras e Roman é escalado para apitar mais um jogo do Verdão.


Cena 2: Cruzeiro 1, Palmeiras 2. O time mineiro perde a partida em casa em um jogo onde abusou das tentativas de cavar pênaltis (o pênalti que houve foi de Jumar na boneca maria). Apesar de jogar com um a mais quase todo o 2º tempo, o Cruzeiro não teve competência sequer para empatar a partida, já que jogou 35 minutos dentro do campo adversário. Como seu goleiro tomou um frango e seu lateral entregou a bola que resultou no 2º gol palmeirense, ao invés de admitir que possuem um time fraco (é só constar a posição delas na tabela), os mineiros preferiram chiar contra a arbitragem, novamente a cargo de Evandro Rogério Roman. Agora com o coro da impren$a “especializada”, que viu algumas dezenas de pênaltis “claros” para o time de Minas. Porém ninguém admitiu que a cotovelada de Kléber em Wendel, que lhe rendeu alguns pontos na boca e a saída de campo sob suspeita de ter fraturado o maxilar, também merecia expulsão. A diretoria maria reclama publicamente contra a atuação do árbitro Roman se dizendo prejudicada nesse jogo.

Resultado: a Comissão de Arbitragem dá um gancho de 30 dias à Roman.


A diretoria do Palmeiras também tentou a mudança do jogo contra o Atlético/PR de sábado para o domingo. A CBF deu de ombros. Vale lembrar que muitos times já tiveram as datas dos seus jogos alterados e a CBF acatou sem problemas, como recentemente o Fluminense e o Internacional.


Para os torcedores das marias, que enxergam este como um campeonato “encomendado” ao Palmeiras, fica a pergunta. Com tamanha força mostrada pela diretoria do Palmeiras nos bastidores, que sequer consegue “limar” um juíz que lhe prejudicou ou mudar a data de um jogo, qual é a mágica que eles farão para “ganhar” o campeonato no tapetão ? Agora, pela força que mostrou o Cruzeiro “limando” Roman por 30 dias, as chances dos mineiros serem rebaixados à 2ª divisão (as marias estão a 7 pontos da zona de rebaixamento) são nulas. E não é por estarem jogando um futebol que mereça sonhar mais alto.


Read Full Post »

Mídia Palestrina

Falar da qualidade dos textos do Observatório Verde é chover no molhado. Perceba que a “má fase” do jornalismo esportivo não vai acaba tão cedo.

Processo acelerado de amnésia coletiva. E um baita delírio.

Read Full Post »

Older Posts »