Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Galeria de craques’

HeitorHeitor Marcelino Domingues
(*São Paulo/SP – 20/12/1898 †São Paulo/SP – 21/09/1972)
Centroavante
Jogos: 330 (225 V, 54 E, 51 D)
Gols: 284
Clubes: Sport Club Americano (1916), Società Sportiva Palestra Italia (1916-1931)
Seleção Brasileira: 11 jogos (8V, 3E, 0D), 4 gols
Títulos:
  • Paulista (1920, 1926 e 1927) pelo Palestra Italia
  • Sul-Americano (1919 e 1922) pela Seleção Brasileira
  • Paulista de Basquete (1928) pelo Palestra Italia

“Durante 15 anos, Heitor Marcelino Domingues, também chamado pelos primeiros palestrinos de Ettore, foi o próprio Palestra Italia. Maior artilheiro da história do clube até hoje, foi um dos primeiros grandes ídolos do Palestra ao lado de Bianco. Heitor jogou o campeonato paulista de 1916 pelo Americano. Nasceu no bairro paulistano do Brás, na época de predominância italiana. Depois tornou-se árbitro de futebol. Artilheiro dos Campeonatos Paulistas de 1926 com 13 gols, e de 1928 com 16, foi o primeiro palestrino convocado para a Seleção Brasileira e o primeiro a marcar gol pelo Brasil, na vitória por 2×1 sobre o Barracas da Argentina, em 13 de maio de 1917.”


História

1898 – nasce na cidade de São Paulo, Heitor Marcelino Domingues. Na infância, começa a jogar futebol no quadro infantil no Colégio Santo Alberto e depois no Colégio do Carmo, onde estudava.

1915 – aos 17 anos, começa a jogar no 2º quadro do Sport Club Americano, time da capital paulista.

1916 – aos 18 anos, passa a atuar no 1º quadro do Americano e logo depois se transfere para o Palestra Italia.

1916 – estreia pelo Palestra em partida amistosa, em 12 de novembro, contra o Guarani de Campinas:

Palestra Italia 0 x 0 Guarani
12/11/1916 (domingo a tarde)
Estádio: Hipódromo Campineiro, Campinas (SP)
Juíz: Domingos Paulino
Palestra Italia: Migliari; Grimaldi e Flosi; Ítalo, Bianco e Fabbi; Cestari, Heitor, Picagli, Savério e Morelli.

1917 – é o primeiro palestrino convocado à Seleção Brasileira. Logo na estreia, faz um gol na vitória contra o Barracas da Argentina, em jogo amistoso:

Brasil 2 x 1 Barracas
13/05/1917
Estádio: Campo do Flamengo, Rio de Janeiro (RJ)
Juíz: Calixto Gardi (ARG)
Gols: Heitor, Arnaldo e Fiorito
Brasil: Marcos; Vidal e Neri; Adhemar (Osvaldo Gomes), Lagreca e Monteiro; Zezé, Millon, Heitor, Arlindo e Arnaldo. Tc: Chico Netto

1919 – rival de Arthur Friedenreich em São Paulo, faz grande dupla de ataque no Campeonato Sul-Americano, disputado no Estádio das Laranjeiras (RJ), que fora especialmente construído para a competição. Marca 1 gol em 3 jogos disputados.

1920 – comanda o Palestra para o seu primeiro campeonato paulista, batendo na final o Paulistano de Friedenreich. Marca 6 gols na vitória de 11×0 no Sport Club Internacional da capital.

Campeões de 1920: Forte, Federici, Serafini, Ministro, Oscar, HEITOR, Martinelli, Primo, Severino, Bianco e Picagli

Campeões de 1920: Forte, Federici, Serafini, Ministro, Oscar, HEITOR, Martinelli, Primo, Severino, Bianco e Picagli

1922 – é bi-campeão Sul-Americano pela Seleção Brasileira, participando de 3 jogos.

1926 – campeão paulista e artilheiro com 13 gols, pelo Palestra Italia. É também campeão da Taça Campeões entre RJ e SP, batendo o São Cristóvão (campeão carioca) por 3×0.

Campeões invictos de 1926: De pé: Bianco, Primo, Amílcar, Serafini, Xingó e Pepe. Agachados: Tedesco, Miguel, HEITOR, Carrazzo e Perillo

Campeões invictos de 1926: Em pé: Bianco, Primo, Amílcar, Serafini, Xingó e Pepe. Agachados: Tedesco, Miguel, HEITOR, Carrazzo e Perillo

1927 – bi-campeão paulista pelo Palestra Italia. Ganha também o Torneio Extra.

Bi-campeões de 1927: De pé: HEITOR, Amilcar, Xingó, Bianco, Serafini e Pepe. Agachados: Mathias, Primo, Carrone, Miguelzinho e Lara

Bi-campeões de 1927: Em pé: HEITOR, Amílcar, Xingó, Bianco, Serafini e Pepe. Agachados: Mathias, Primo, Carrone, Miguelzinho e Lara

1928 – artilheiro do Paulista com 16 gols. No intervalo dos jogos, Heitor treinava com a equipe de basquete. Conseguiu ser Campeão Paulista de Basquete também.

Heitor é o 2º da esquerda p/ a direita

Heitor é o 2º da esquerda p/ a direita

1929 – convocado pela Seleção Brasileira em um amistoso contra o Rampla Juniors do Uruguai, Heitor foi para o gol depois da contusão do goleiro Jaguaré do Vasco, que entrara na partida no lugar de Amado do Flamengo, também contundido. Heitor jogou os últimos minutos e não sofreu gol.

1931 – dia 6 de dezembro faz a partida de número 330, sua última pelo Palestra Italia, na derrota por 4×0 para o São Paulo da Floresta. Com a derrota o Palestra perde a chance de se sagrar campeão:

Palestra Italia 0x4 São Paulo da Floresta
06/12/1931 (domingo a tarde)
Estádio: Parque Antárctica, São Paulo
Juíz: Virgílio Fredrigh
Gols: Armandinho (13) e Araken (19) do 1ºt; Armandinho (11) e (22) do 2ºt
Palestra Italia: Nascimento; Volponi e Junqueira; Loschiavo, Goliardo e Ventura Cambon; Aldo, Heitor, Romeu Pellicciari, Lara e Osses. Tc: Bianco
São Paulo da Floresta: Joãozinho; Clodô e Barthô; Mílton, Bino e Fábio; Luizinho, Armandinho, Friedenreich, Araken patusca e Junqueira. Tc: Rubens Salles

1932 – volta ao Americano para jogar mais alguns amistosos.

1935 – como árbitro, apita a final do Campeonato Paulista entre Santos x Corinthians.

Goleiro José do Corinthians evita o gol do Santos sob olhar atento do árbitro Heitor Domingues

Goleiro José do Corinthians evita o gol do Santos sob olhar atento do árbitro Heitor Domingues

1940 – apitou a partida inaugural do Pacaembú entre Palestra Italia e Coritiba, com a vitória do time paulista por 6×2. Com rodada dupla, o Corinthians venceu o outro jogo, contra Atlético/MG por 4×2. Os vencedores disputaram em 5 de maio a Taça Cidade de São Paulo, vencida pelo Palestra por 2×1.

1972 – aos 73 anos, morre em São Paulo, o maior artilheiro da história do Palestra Italia/Palmeiras.


Fontes:

Read Full Post »